Torre de Palma Tinto 2018

16,90 €

Vinho de castas portuguesas Alicante Bouschet, Aragonez, Touriga Nacional e Tinta Miúda (Graciano) em sistema de Produção Sustentável. Vindima manual e pisa a pé em pequenos lagares de mármore rosa de Estremoz, teve estágio de 12 meses em barrica de carvalho francês. Vinho muito aromático, com notas de frutos vermelhos (romã) e cogumelo selvagem. Na boca é elegante, com taninos macios. Final longo e persistente.

More details

Em Stock

Adicionar à Lista de desejos

Pré-visualizar os custos de transporte
Produtor Produtor: Torre de Palma
Enólogo: Duarte de Deus
Região Alentejo Regional
Castas Alicante Bouschet, Aragonez, Touriga Nacional e Tinta Miúda (Graciano)
Estágio 12 meses em barrica de carvalho francês
Volume Teor Alcoólico: 14,5% Volume
Capacidade: 75 cl
Harmonizações Lombo de novilho com legumes salteados, bacalhau à lagareiro ou pizza de 4 queijos
Temperatura Ideal: 16º a 18ºC
Prémios do Vinho 92 Pontos - Revista Wine Enthusiast

A Herdade Torre de Palma está localizada no coração da região vinícola do Alto Alentejo, em Monforte. Este é um projeto focado em produzir vinhos de autor, como é o exemplo do blend Arinto + Alvarinho, que respeitam o terroir, praticamente feitos à mão, em pequenos lotes e com intervenção minimalista.

O Passado e o Presente
A história é rica e merece a sua leitura. Romanos, Mestres da Ordem de Avis, membros da Realeza Portuguesa e até mesmo uma cooperativa agrícola pós-revolucionária fizeram parte da história da propriedade.

Mas vamos começar pelo início. A primeira fase começa no séc. I quando os Romanos habitaram estas terras e se mantiveram até ao séc. V. Destes tempos destaca-se a abastada família Basilii, que se dedicava à produção de vinho, azeite e à criação de cavalos. Acredita-se que o cavalo lusitano tem aqui a sua origem. Esta família considerada intelectualmente superior e interessada na cultura, deixou na propriedade mosaicos figurativos considerados entre os mais importantes da Península Ibérica, e que hoje se encontram expostos no Museu Nacional de Arqueologia em Lisboa – o Mosaico das Musas, o Mosaico do Cortejo de Baco, e o Mosaico do Cavalo.

A segunda fase começa em 1277 quando se estabeleceu aqui a Ordem de Avis, e em 1338 as terras de Torre de Palma passam a pertencer à Coroa Portuguesa onde permanecem por mais de 500 anos. Só em 1863 um abastado comerciante de Lisboa, Jacinto da Silva Falcão, a adquire e arrenda-a à família Costa Pinto por mais de 80 anos. Esta família dedicava-se à agricultura, nomeadamente à produção de cereais, criação de gado e azeite. Os populares falam de uma expressão que se usaria naquele tempo: “vais receber a palma” para designar que era o valor mais justo pelo trabalho graças à honestidade desta família.

A terceira fase da história começa com a revolução de 1974, após a saída da família Costa Pinto em Dezembro de 1973 e a sua posterior ocupação pelos trabalhadores. Estes terrenos transformaram-se assim na primeira unidade coletiva de produção do Alentejo estando entregues aos trabalhadores por vários anos.

Após este período desenvolve-se um litígio judicial que culmina em 2007, sendo posteriormente comprada pelos atuais proprietários – Ana Isabel Rebelo e Paulo Barradas Rebelo. A mãe de Paulo era oriunda do Alentejo e por isso a família sempre teve uma forte ligação a estas terras. Isabel e Paulo estabeleceram-se aqui para iniciar este projeto com o mesmo propósito da sua origem: ser um local de trabalho, onde se produz o vinho, o azeite, e se criam os cavalos e onde se pode ficar numa casa com muitos anos de história.

Vinha
7 castas divididas em 7 hectares instalados em solos franco-argilosos, com pequenas manchas de calcários, xistos, arenitos e mármores. Beneficia do clima local da Serra de São Mamede, com grandes amplitudes térmicas fundamentais e benéficas para prolongar o período de maturação da uva. O relevo e disposição da vinha permite um forte arejamento natural do seu interior. Estas são algumas combinações perfeitas para produzir vinhos únicos, em harmonia com a natureza.
Castas Brancas: Arinto, Alvarinho e Antão Vaz
Castas Tintas: Touriga Nacional, Aragonez, Alicante Bouschet e Tinta Miúda

Enologia
Duarte de Deus, enólogo apaixonado pelo Alto Alentejo, encontrou em Torre de Palma um projeto desafiante, carregado de história e simbolismo. Na vinha, identificou as micro parcelas e a rocha-mãe de forma a tirar o máximo potencial de cada casta. Na adega, defende que só com intervenção mínima se conseguem fazer grandes vinhos que revelem com o tempo, todo o potencial da região.

Seco Doce
Sem madeira Estágio barrica
Leve Encorpado
Beber já Para a cave

Sugerimos outros produtos em que possa estar interessado!

Utilizamos cookies. Ao continuar a navegar, assumimos que concorda com o seu uso. OK

Subscreva a nossa Newsletter



Subscreva a nossa Newsletter



A Wineclick irá utilizar a informação que fornecer neste formulário para entrar em contato consigo no âmbito das suas atividades comerciais e tendo em vista a finalidade de marketing. Por favor, confirme se podemos entrar em contato consigo por email selecionando o campo em baixo:

x Já se vai embora?

Ganhe 10% desconto na sua primeira compra ao registar-se na nossa Newsletter!

Fazer já o registo!
x Não perca esta oferta!

Ganhe 10% desconto na sua primeira compra ao registar-se na nossa Newsletter!

Fazer já o registo!